VIDA LONGA AO REI!

No dia 28 de setembro de 1989 nascia Reinaldo Manoel Da Silva, ou Kingnaldo para os mais íntimos. Reinaldo vem de origem humilde, na infância já trabalhava ajudando seu irmão como Pedreiro e até mesmo em um frigorifico, onde ele matava galinhas. Reinaldo teve que convencer sua mãe a deixar ele abandonar o emprego no frigorifico para tentar a sorte no Atlético de Sorocaba, lá começaria a sua trajetória no futebol.

Foto: Rubens Chirri

Reinaldo em 2011 havia chegado na Penapolense, mas só no ano seguinte se destacaria pelo clube paulista, mais tarde ele seria emprestado ao Sport, onde ficaria até 2013. lá ganhou o carinhoso apelido de ”Ruim-Naldo”, pela má fase do clube e também dele mesmo. No mesmo ano de 2013, em maio, Reinaldo desembarcava em São Paulo, para assinar um contrato de empréstimo com o Tricolor Paulista.
O tricolor não atravessava um bom momento e estava flertando com o rebaixamento na época, até a chegada de Muricy Ramalho, que junto aos jogadores, salvou o clube de um vexatório rebaixamento. Em 25 de agosto Reinaldo anotou o gol que colocou fim no jejum de 12 jogos sem vencer, a vitoria por 2 a 1 sobre o fluminense foi a que deu inicio a fuga da zona da degola. Reinaldo se tornou um dos símbolos da reação são-paulina e no dia 30 de novembro de 2013, após avaliar o jogador e elogiá-lo, o São Paulo comprou 80% dos direitos do atleta, esse contrato seria valido até o 2017.

SPFC REINALDO

Foto: UOL

No ano seguinte, em 2014, o jogador acabou perdendo posição para o Uruguaio Álvaro Pereira, que acabou virando simbolo de raça para a torcida Tricolor. Em 2015 começam a surgir com mais força as criticas ao lateral, assim que tocava na bola, era quase que instantâneo as vaias para Reinaldo, a torcida queria ele fora do clube de qualquer maneira, e assim seria feito em 2016, no dia 8 de fevereiro o lateral foi emprestado a Ponte Preta. Na Ponte ele conseguiu ser um dos destaques do time, até anotou um gol contra o São Paulo, pelo campeonato paulista. No inicio de 2017 uma duvida pairava pelos arredores do Morumbi, Reinaldo merecia outra chance?. Bom, não foi o que aconteceu, Reinaldo foi emprestado a Chapecoense, que tinha que se reestruturar após o fatídico acidente em medelim. Na chape não só foi o destaque do time como também um dos destaques do campeonato com 8 gols e 12 assistências, agiu diretamente em 20 gols , numero bem expressivo para um lateral.

REINALDO CHAPE

Foto: Sirli Freitas 

Agora, em 2018, foi o ano da volta por cima, as vaias viraram aplausos, as criticas viraram elogios, e a rejeição da torcida virou idolatria. Reinaldo já vinha fazendo boas partidas com o manto Tricolor, mostrando sempre muita luta, vontade e evolução técnica com relação a sua primeira passagem pelo clube, mas, foi em 21 de julho, contra o Corinthians que veio a sua consagração, Reinaldo anotou 2 golaços na vitoria por 3 a 1 sobre o alvinegro, a torcida foi ao delírio com a atuação.
Hoje, ele é referencia técnica e de liderança dentro do elenco, e até o líder na resenha, junto com Everton, Nene e Diego souza. Com certeza é o atleta mais querido pelo grupo. O caso Reinaldo é uma das maiores e mais belas voltas por cima do nosso futebol.

WhatsApp Image 2018-07-22 at 00.19.06

Foto: Rubens Chirri

Precisamos falar sobre a diretoria do SPFC.

Após anos de crise política, conflitos de interesse e até imprudência administrativa ao utilizar o nome da instituição para fins ilícitos, a paz parece finalmente ter pairado sobre Morumbi. Nós, a torcida, que nos víamos completamente ilhados em meio à catástrofe que se encaminhava a política tricolor, hoje podemos respirar tranquilos e esperançosos.

O cenário que possuímos hoje no clube é bem diferente, em todos os aspectos, dos vividos desde o ano de 2009 até o final de 2017. Quase uma década de péssimas campanhas, péssimos elencos, escândalos, vexames, e somente um título conquistado: A Copa Sul-Americana de 2012.

Após o conturbado terceiro mandato de Juvenal Juvêncio, e horroroso meio mandato de Carlos Miguel Aidar, que resultou em seu impeatchment, Leco surgiu como uma esperança. Anos de trabalho no clube, e carisma com os torcedores, levaram-no de um presidente provisório, à um presidente eleito pelo conselho deliberativo do clube.

Foto: Jovem Pan

Carisma essa, que foi para o lixo meses depois, Após contratar o Ídolo Rogério Ceni para a função de treinador e demiti-lo com menos de 6 meses de trabalho.

Dali para frente, Leco se mostrou um perfeito déspota. Sumiu das redes sociais, e a equipe, até então comandada por Dorival Jr, sofria horrores dentro de campo. Sequer a contratação de Hernanes (que nos livrou do rebaixamento) por empréstimo, foi capaz de melhorar a imagem do presidente.

Tudo mudou em 2018.

Raí, Lugano, e Ricardo Rocha foram integrados à diretoria. Para muitos, apenas uma maneira de Leco continuar se escondendo e queimar mais ídolos.

Foto: Rubens Chiri

Na prática, uma excelente tacada, pois este ato, esta decisão, culminou em todo o sucesso que temos até aqui.

Após maus resultados no Campeonato Paulista, a diretoria decide trocar a comissão técnica e alguns treinadores surgiram como favoritos ao cargo.

Sem muito tardar, Diego Aguirre foi o escolhido, e há muitas razões para isso:

Aguirre foi jogador do São Paulo no início dos anos 90, atuando justamente com Raí e Ricardo Rocha. Além disso, é conterrâneo de Diego Lugano. Não havia como dar errado!

Foto: Rubens Chiri

Jogo após jogo, a equipe foi tomando forma. Muito por conta da ajuda do agora auxiliar André Jardine, que trabalhou toda a parte de integração do elenco com o novo treinador.

Hoje, o São Paulo detém não só a melhor campanha do atual campeonato brasileiro até aqui, como a melhor campanha na competição em toda a sua história, superando inclusive os anos do tricampeonato seguido!

Mais líderes do que nunca, podemos finalmente sonhar com a conquista de um título de peso.

A volta do Tricolor Paulista para as cabeças do cenário desportivo nacional.

Foto: Rubens Chiri

O Visitante que antes não imaginávamos ser.

Foto: Rubens Chirri

Ser São Paulino nesses últimos anos, nessas ultimas competições, é um sentimento que quem estava acostumado com os anos áureos do Tricolor, sofria e não aceitava passar nem um por um unico final de semana.

Hoje, após o gol do Sport, todo aquele filme de perder pontos importantes e sofrer com a perda deles rodadas depois voltou a passar pela minha cabeça, e tenho certeza que pela cabeça de qualquer torcedor que veste a camisa do São Paulo. O nervosismo bate sempre que colocamos a vantagem a nosso favor. Sim, deveria ser diferente como é pra ser, mas por tudo que já passamos, qualquer gol tomado pode virar um pesadelo.

Mas hoje é diferente, todo aquele tormento que passamos parece ter desaparecido. Claro, todo cuidado é pouco, mas conseguímos respirar melhor. O time não se abate, busca sempre o resultado positivo e positivo que falo é mais que apenas um empate fora de casa, o time busca sair vitorioso, seja no Morumbi, seja fora dele, independente da equipe que joguemos contra.

Na Ilha do Retiro fomos gigantes mais uma vez, jogando buscando a vitória, sendo o time com maior posse de bola e que mais levava perigo ao adversário, isso tudo como já dito, na casa do adversário, mais uma vez fazendo pontos na casa do adversário, o que nos da um respiro maior para os jogos no Morumbi, ao lado da nossa torcida, ao lado de 40, 50 mil São Paulinos que lotam nossas cadeiras e arquibancadas.

Foto: Rubens Chirri

Diego Souza provou novamente que a Lei do Ex funcionou muito bem à seu favor. O goleador marcou mais um e deixou a mística da Lei cada vez mais forte. A parte bonita do espetáculo, fora o gol de Diego e seu bom jogo, foi o aplauso dos torcedores rubro-negros para o nosso atacante. Ídolo na Ilha do Retiro e ainda chamado por DS87, o atacante foi aplaudido em pé na hora de seu gol e logo após ser substituído. É gratificante ver o tratamento ao nosso jogador e uma honra poder fazer parte disso que o futebol nos oferece.

Nenê aumentou o marcador e ainda poderia ser fundamental em mais um gol, no de Reinaldo, certamente anulado pela arbitragem, mesmo sendo um baita golaço.

Trellez finalizou o placar logo após o gol dos rubro-negros e tirou todo o fantasma que como citado no início do texto, vivia ao nosso lado.

Estamos no caminho certo, vencendo e convencendo fora de casa. Faltam muitos jogos ainda, não da pra se empolgar e achar que somos campeões, ainda está muito longe disso, mas da pra sonhar e principalmente, trabalhar em prol disso. Falta muito, que então continuemos seguindo esse sonho.

Pode ter certeza, que pra cada um que correr em campo, seja no Morumbi, ou fora dele, milhares de São Paulinos estarão ao lado dele.

Vamos, São Paulo!

Foto: Rubens Chirri

Seguimos!

Foto: Rubens Chirri

Ontem após o jogo de Grêmio x Flamengo, eu comecei a imaginar a possibilidade de atingir a liderança. Fazia muito tempo que eu não passava por essa sensação gostosa e que traz paz para o torcedor. Anos atrás eu me via numa situação desesperadora, algumas vezes até lutando para não cair e quem é São Paulino de corpo e alma sabe que nessa mesma rodada ano passado provavelmente se encontrava igual a eu me encontrava no Morumbi, sem esperanças de um futuro melhor.

Depois de muita luta, mudanças e um novo planejamento, hoje estamos no lugar que muitas vezes já alcançamos, mas que reconhecemos que perante ao que apresentávamos, não merecíamos. Hoje merecemos e pode comemorar, pode gritar, pode vibrar e pode muito, mas muito mesmo! Se existe um time merecedor de ter alcançado essa primeira posição, sim, somos nós!

Trato o São Paulo como nós por que não tem como não tratar uma só entidade tudo o que faz parte do Morumbi. Todos os mais de 50 mil torcedores junto aos comandados de Aguirre, que junto com Rojas correram os 90 min atrás do resultado, que ao lado de Sidão, Arboleda e Bruno Alves defenderam nossas cores e que como Trellez marcaram e vibraram ao colocar a bola para dentro do gol. Eu não vou citar Hudson como capitão pois já deixei claro aqui o quanto o futebol desse rapaz e do São Paulo cresce com a tarja no braço dele, só tenho mesmo que agradecer, mais uma vez, a Aguirre.

Foto: Rubens Chirri

O jogo começou com um gol marcado de forma rápida e quem esperava uma goleada se espantou com o time completamente fechado do Vasco e com uma boa proposta defensiva, que resultou num primeiro tempo de um só gol, mas com o time atacando os 45 minutos. Me da gosto ver o São Paulo pra frente sempre em busca do gol. Posso repetir muitas e quantas vezes for necessário que há tempos não via isso e sim, isso me da muito orgulho!

O empate do Vasco no início da segunda etapa me deixou realmente preocupado, todo o filme das coisas ruins que passamos voltou a passar pela minha cabeça. Cederíamos mais uma vez o resultado no memento que mais precisamos dele? O time vai ficar abatido? O time terá como reagir? Bom, o time não se abateu, o time não ficou atrás e principalmente, o time buscou a vitória durante os 45 minutos restantes.

A bola de Everton cruzada para Trellez demorou cerca de dois dias para cair no gol de Martín Silva, lembro perfeitamente do movimento que fiz esperando ela morrer no fundo das redes e então poder comemorar com aquele grito que estava na minha garganta preso, aquele grito de gol que sabemos que significa bastante, aquele gol que tanto precisávamos.

Foto: Rubens Chirri

O final chegou e então pudemos parar e pensar, “sim, somos líderes e não, ninguém poderá retirar nossa liderança nessa rodada.”

Toda comemoração é válida! Sabemos o quanto sofremos ano passado e o quanto fomos zuados, mas hoje demos a volta por cima. Não quero ficar contando vantagem em relação aos rivais, o melhor a se fazer é comemorar e manter o pé no chão. Tem muito campeonato ainda a ser disputado, mais de um turno inteiro, mas com foco, vontade de vencer e objetividade, podemos alcançar pontos positivos e sonhar com bons resultados nesse campeonato. Falta muito, seguimos então na busca desse muito!

Militão.

O ultimo jogo de Éder Militão com a camisa do São Paulo antes de sua transferência para o Porto não poderia ser melhor. Sair com vitória e com a liderança garantida para o Tricolor é motivo de glória para o menino que nasceu em Cotia em 2012 e hoje trilha seus caminhos no futebol agora em Portugal. É merecedor e pode ter certeza que estaremos aqui na torcida por seu sucesso, Milotop, Militante, Militar e outros apelidos já dados ao nosso ex camisa 13. Pelo profissional do Tricolor foram 57 jogos feitos com 4 gols marcados. Militão estreou em 2017 contra o Cruzeiro no Mineirão, no dia 14/05.

Com dever cumprido e com a liderança, se despede de nossa equipe. Voa, mlk!

Foto: Rubens Chirri

Assim como Militão, esperamos que nosso time continue voando e alcançando cada vez mais posições melhores e sonhos importantes no campeonato.

Seguimos, em busca do nosso objetivo!

Vamos, São Paulo!

A única lei que funciona no país!

Foto: Gazeta Press

Neste domingo (05/08), o São Paulo enfrentará o vasco e a partida tem todos os ingredientes para ser um grande jogo. O Morumbi (como de costume) estará lotado e para apimentar ainda mais a partida, o time pode assumir a liderança se vencer o Vasco nesse domingo. Até aqui já temos motivos para irmos confiantes e empolgados pra partida, mas também temos que destacar uma coisa, uma Lei na verdade, a famosa Lei do Ex, que nos últimos jogos tem funcionado a nosso favor, e que continue assim!

Contra o Flamengo vencemos aquele jogo épico com um gol de Éverton, ex jogador do Flamengo e ídolo da torcida Rubro-Negra. Contra o Corinthians foi a vez de Anderson Martins deixar o seu gol, o jogador passou pelo clube de 2014 a 2015. E agora chegamos no Rei da lei do Ex, aquele que praticamente todo jogo tem essa Lei valendo, Diego Souza. Nosso camisa 9 marcou no Grêmio, onde atuou em 2007 e foi o artilheiro da equipe com 16 gols, Diego também fez o gol que abriu o caminho para a vitoria contra o Cruzeiro no último domingo, ele passou pela equipe em 2013 e anotou 7 gols em 22 partidas.

Foto: Rubens Chirri

Agora é contra o Vasco, o Tricolor tem 3 jogadores que passaram pelo Gigante da colina, Nenê, Diego Souza e Anderson Martins, mas Anderson não jogará a partida pois tomou o terceiro amarelo no pênalti que ele cometeu em Arrascaeta na última rodada. Talvez essa seja a chance de Nenê voltar a apresentar o futebol decisivo que vinha demonstrando antes da copa, mesmo com boas atuações contra Corinthians e Colón o camisa 10 não conseguiu decidir um jogo após a pausa no Brasileiro. A torcida tem uma grande expectativa para esse jogo, pois o Vasco não vem apresentando um bom futebol e tem sofrido goleadas nessa temporada, eles tem uma das Defesas mais vazadas do País, com mais de 55 gols sofridos.

O Tricolor tem o terceiro melhor ataque do campeonato com 25 gols marcados, ficando somente atrás do líder flamengo com 28 gols e do Atlético Mineiro com 30. Outro ponto importante dessa partida é a despedida de Éder Militão, que foi contratado pelo Porto por 17,7 Milhões de Reais + 10% em uma futura venda, com certeza uma vitória em cima do Vasco seria uma ótima forma de se despedir da torcida e sair por cima. Que o tricolor conquiste os 3 pontos e a liderança.

Vamos, São Paulo!

Foto: Maurício Rummens

Texto: Rodrigo Queiroz

9 pontos em 4 jogos. Que momento!

Foto: Rubens Chirri

Cruzeiro 0x2 São Paulo

Ver o São Paulo jogando com tanta vontade, com tanta formação e principalmente com físico e buscando o jogo a cada minuto é algo que muitos de nós não imaginávamos perante tanta apatia vivida com Dorival Junior e os jogos do início do ano.
Que Aguirre mudou nossa formação e a cabeça do jogador Tricolor é nítido. Todos jogam pelo São Paulo e apenas para o São Paulo. O condicionamento físico é mérito de nosso preparador, que colocou nosso jogadores no eixo e fazem com que todos corram pelo Tricolor. Não existe individualismo e mesmo diante do leve emburrecimento de Nenê com a substituição, o momento permite que apenas uma conversa com nosso veterano faça com quem tudo então seja resolvido da melhor maneira.

Foto: Agência Estado

Hoje foi mais um jogo que mostrou a evolução da equipe, fora de casa, dentro de uma das mais difíceis sequências para uma equipe no campeonato. Após Flamengo, Corinthians e Grêmio, veio o Cruzeiro, novamente fora de casa. Novamente fomos guerreiros, novamente fomos fortes. Conquistamos 9 pontos em 4 jogos dificílimos. O que no início do ano nem passava por nossa cabeça, hoje com orgulho colocamos o sorriso no rosto e podemos sonhar sempre mais com algo altamente positivo no brasileirão.
Hoje o jogo mostrou que Diego Souza, outro veterano, pode colocar os zagueiros adversários no bolso, mostrou que seu futebol recuperado cresce cada dias mais e como sempre, mostrou que a Lei do Ex novamente apareceu. Que venha o Vasco então!

Foto: Agência Estado

É engraçado pensar em como conseguimos nos superar jogando no Mineirão. Mais um resultado positivo, mais um resultado que nos ajuda a sonhar cada dia mais com algo melhor e que coloque nossos sonhos em realidade. Ainda quero manter o pé no chão e pensar que precisamos de muito ainda e que manter o foco para brigar por uma conquista ou por posições exímias na tabela é prioridade. MAS PUTA QUE PARIU, 9 PONTOS EM 4 JOGOS É MUITO PERFEITO! COMO EU TE AMO, SÃO PAULO!
Não quero prolongar ainda mais, mas Reinaldo merece novamente um ponto em meus textos. Corre, marca, vibra, da passe, lança, tenta o gol, da assistência…o King é monstro e ponto final. O melhor em campo novamente e o orgulho de ter aquele rapaz que no passado dizia que o sonho dele era jogar pelo São Paulo só aumenta!
Que venha o Vasco e caralho, como eu to com saudades do Morumbi e de ver esse estádio lotadasso. Bora colar? Bora!

Foto: Ruben Chirri

Vamos, São Paulo!

Por quê o sentimento hoje é diferente?

Foto: Maurício Rummens

Foto: Maurício Rummens

Todo São Paulino que vive intensamente o São Paulo sabe do tamanho do amor e do sentimento que se encontrou comemorando os títulos conquistados na ultima década, o período de vacas magras e o pior já vivido, as quase quedas para a segunda divisão, sentimento esse que é estranho e sim, da medo pensar, temos até um sentimento ruim ao pensar ou falar esse nome, esse substantivo ruim.

Depois de termos passado um 2014 que nos deu algumas esperanças na Sulamericana e no Brasileiro e um primeiro semestre de Libertadores em 2016 que as vezes prefiro também nem lembrar de tudo o que passamos nela.

Ano passado tínhamos toda a esperança de conseguir algo e passamos por um dos piores e quem sabe o pior ano da história do São Paulo. Confusões, trocas de técnico, problemas com ídolos, o quase rebaixamento. O pior ano da história e com certeza o que mais estive perto do Clube. O que mais me fez ir ao Morumbi, que me fez chorar ao lado da minha namorada nas cadeiras depois de derrotas e empates com o Morumbi lotado e o pensamento, “é cara, esse ano não vai dar não”. Graças a Deus o profeta voltou e o resto é história e diria eu que uma das mais emocionantes já vividas por nós, Tricolores.

Mas por quê hoje então é diferente? A significativa troca de técnico favoreceu o andamento de uma mudança completa dentro do nosso clube. Aguirre deu uma cara ofensiva e motivadora ao São Paulo, monta o time de acordo com o momento vivido pela equipe, não tem medo de arriscar e sabe bem em que peças mexer. É clara, nítida e total responsável essa mudança provocada por Aguirre e sim, outros jogadores. O técnico ajudou e ajudou muito, vive ótima fase e tem total apoio dos comandados. O antes espírito uruguaio retranqueiro, da hoje cara à um espirito, me deem licença para usar essa licença poética,  Aguerrido e que joga para frente, disposto a vencer ou lutar por uma vitória em cada jogo que disputa.

Foto: Maurício Rummens

Mas e Nenê, Hudson, Reinaldo, Arboleda e outros símbolos dessa trajetória que ajuda a nos colocar um leve sorriso no rosto? Nenê é o símbolo dessa reconstrução de Aguirre. Craque e com um futebol que faz a mulecada aprender a se comportar dentro de campo, o “Senhor” de 37 anos joga como se tivesse 20. Hudson é o espirito que perdemos por um ano e que graças ao nosso senhor Jesus voltou. Disputa todas as bolas, se entrega os 90min e quer vencer sempre, merece e merece muito a tarja de capitão.
Reinaldo que antes foi tão execrado pela torcida, hoje vira simbolo de entrega, carisma e desempenho em campo. Teve alto crescimento depois das passagens por Ponte e Chape e hoje com certeza está numa fase de ouro e com um futebol incrível, Cássio que o diga.
Arboleda, um monstro na zaga que ao lado de Anderson Martins montou um sistema defensivo de entrega e que comete poucos erros. São um dos principais pontos para essa evolução da equipe.

Foto: Maurício Rummens

Ainda é cedo para confirmar aonde chegaremos, a entrega nos jogos e a busca pela liderança já nos da um motivo maior para crer em algo maior, nem que seja uma conquista nas vagas da Libertadores, mas não nego, gostaria muito de terminar na primeira colocação do Campeonato Brasileiro, sim, logo depois de 10 anos da ultima vez que terminamos lá.

Daqui alguns minutos temos o confronto contra o Grêmio lá no sul. Não será fácil, como não vem sendo por um bom tempo, mas o espirito, a entrega e a vontade ainda pode nos dar esperanças de ir buscar mais um resultado positivo fora de casa.

Foto: Maurício Rummens

Vamos, São Paulo!